Durante ações do Gaeco, secretário também foi preso com arma escondida em casa

A primeira prisão ocorreu na zona rural de Ribas do Rio Pardo e outra no bairro Jabour; três revólveres foram apreendidos

| MARESSA MENDONçA / CAMPO GRANDE NEWS


Carro do Gaeco em frente a casa do prefeito do município, Paulo Tucura (Foto: Rio Pardo News)

O secretário municipal de Administração interino de Ribas do Rio Pardo, Wilson Aparecido dos Santos e a esposa do ex-diretor da secretaria de obras do município, Fernanda Canova Dias foram presos em flagrante, na manhã desta terça-feira (12), por posse ilegal de arma de fogo. As prisões ocorreram durante a “Operação Combustão' do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado).

Por volta das 10h27, agentes foram até a casa do Wilson Aparecido dos Santos em cumprimento de mandado de busca e apreensão e questionaram se o servidor tinha alguma arma. Ele respondeu que sim e mostrou um revólver calibre . 38 sem munições guardado no fundo da gaveta de uma cômoda no quarto dele.

Ele contou aos policiais que tinha recebido a arma como herança familiar e por esse motivo não tinha o registro. Em outro cômodo da casa foram encontradas sete munições todas do mesmo calibre.

Conforme já noticiado pelo Campo Grande News, outra prisão ocorreu na casa do ex-diretor da secretaria de obras do município, Paulo Roberto dos Santos Nogueira, no bairro Jabour. Ele não estava em casa.

A esposa de Nogueira atendeu a porta para a realização das buscas. Os agentes acabaram encontrando duas armas e seis munições dentro de um cofre  no quarto do casal. Fernanda Canova disse aos policiais que a arma pertencia ao marido, mas como ele não estava em casa ela recebeu voz de prisão e será investigada por posse irregular de arma de fogo.

As ações - a operação Combustão, deflagrada hoje pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), investiga esquema para desviar dinheiro público a partir de contratos de aquisição de combustíveis. Por meio de abastecimento fraudulento, valores eram retirados em espécie no posto de combustíveis que integrava o núcleo criminoso.

A operação tem 17 mandados de busca autorizados pelo TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). As ordens judiciais são cumpridas em Ribas do Rio Pardo, Campo Grande, Dourados e São Gabriel do Oeste. A ação tem apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar.


Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do Canaldaqui (67) 98186-1999

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010531782535

Clique aqui e receba notícias do Canaldaqui no seu WhatsApp!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE