Pela primeira vez, ESPMS realiza acolhimento de residentes em quatro áreas médicas

A intenção do acolhimento unificado foi incentivar a produção científica de qualidade e motivar os profissionais ao trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS).

| PORTAL DO MS


ESPMS realiza acolhimento de residentes em quatro áreas médicas

 A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Escola de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul (ESPMS), realizou pela primeira vez um Programa de Recepção e Treinamento Introdutório para 27 profissionais inscritos em diferentes residências médicas: Enfermagem Obstétrica, Oftalmologia, Clínica Médica e Multiprofissional com Cuidados Integrados em Saúde.

A intenção do acolhimento unificado foi incentivar a produção científica de qualidade e motivar os profissionais ao trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS).

Conforme explicou a superintendente Geral de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde da SES, Gyselle Saddi Tannous, o Estado participou pela primeira vez do acolhimento desses profissionais e, ainda de forma inédita, conseguiu unir diferentes programas de residência, o que antes era feito de forma individual.

“O Estado financia esses programas de residência, há algum tempo, por meio de bolsas de estudo. A novidade agora é o acolhimento conjunto de todos os residentes, com a participação do Estado, com o objetivo de motivar e incentivar os profissionais à produção científica e formação voltada para o SUS. Já estamos trabalhando na perspectiva de um congresso único de todas as residências em saúde para esse semestre”, disse a superintendente.

Conforme Gyselle, a intenção do Estado é provocar a formulação de trabalhos científicos mais qualificados e “fazer com que as residências revertam profissionais capacitados e desejosos de atuarem no SUS. Ou seja, existe o investimento público, mas com uma perspectiva de que eles atuem no SUS conforme a formação individual”, disse.

No acolhimento, os profissionais receberam, além dos detalhes práticos, os itinerários, a normatização do SUS e os princípios do sistema. A Escola de Saúde Pública financia parte das tutorias e das aulas oferecidas nas residências, ficando o Estado responsável pelo recurso financeiro. As residências tem duração de dois anos, com exceção da residência de oftalmologia, com duração de três anos.

Texto e foto: Luciana Brazil – Secretaria de Estado de Saúde (SES)


Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do Canaldaqui (67) 98186-1999

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010531782535

Clique aqui e receba notícias do Canaldaqui no seu WhatsApp!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE