Funcionário de pet shop é demitido após assediar cliente por WhatsApp

O rapaz pegou o contato da cliente e em número pessoal, falou em nome da empresa

| MIDIAMAX


Funcionário pegou número de cliente de pet shop para enviar mensagens de número pessoal | Foto: Reprodução/WhatsApp

Um funcionário de pet shop, localizado na região central de Campo Grande, foi demitido após importunar cliente por WhatsApp na última terça-feira (4). A decisão da empresa aconteceu depois que a cliente denunciou o ocorrido e outra vítima também apareceu.

Conforme a jovem relatou ao Jornal Midiamax, ela precisou ir até o estabelecimento comprar um medicamento para a cadela e ao entregar a receita ao vendedor, ele disse que não teria o remédio naquele momento e pediu o telefone para entrar em contato posteriormente.

No mesmo dia, o vendedor encaminhou uma mensagem pelo aplicativo falando que iria solicitar o medicamento e que chegaria na mesma semana. A estudante relata que depois que a conversa iniciou-se, o funcionário alterou a foto do ícone do aplicativo mostrando a região íntima coberta. A partir de então, ela decidiu tomar satisfações com a empresa e cobrar uma punição.

Pesquisa mostra que 41% dos praças das PMs nas redes são bolsonaristas

Depois de decretar lockdown, cidade de MS ‘bloqueia’ entrada de visitantes

“Foi um choque. Senti nojo, desprezo, angústia, violação do meu espaço pessoal. Essa era a primeira vez que eu saía de casa sozinha desde o início do meu episódio depressivo que se iniciou em julho, ou seja, sofri importunação sexual do vendedor de um pet shop 2 semanas depois do início de um episódio depressivo', relatou a jovem à reportagem. Ela também apresentou um laudo médico confirmando o quadro depressivo.

Após reclamar com a empresa, a estudante teve como resposta de que o homem seria ‘imediatamente advertido’, mas não especificou à ela qual medida seria exatamente tomada. Após o ocorrido, a jovem publicou o relato no grupo do Facebook ‘Aonde Não Ir em Campo Grande’, com mais de 122 mil pessoas, e uma nova cliente importunada surgiu.

Ainda do Midiamax, a jovem explica que ficou ainda mais abalada após uma postagem da proprietária da empresa, que dizia: “Caso a senhora não tivesse olhado para a foto do funcionário, não teria sequer se ofendido, já que ele não mandou fotos para ela ou verbalizou qualquer insinuação de assédio'. Abalada com toda a situação, a estudante disse que registraria boletim de ocorrência para que a polícia investigue a conduta do funcionário e da empresa.

Bolsonaro: ‘Estamos chegando ao número de 100 mil (mortes); vamos tocar a vida’

Bolsonaro: BNDES destinou meio trilhão para ditaduras, mas está mudado

Bolsonaro: Eu sei que economia se recupera e saúde não; mas tem de fazer conta

De acordo com a advogada da empresa, Viviane Lacerda, o rapaz usou o número pessoal para falar em nome da empresa com as clientes do pet shop e isso não foi tolerado. A demissão aconteceu após uma reunião da empresa com o funcionário e o surgimento do segundo caso.

“Após o primeiro caso, tivemos uma reunião com ele no mesmo dia. Ele se demonstrou bastante arrependido. Porém, após o segundo caso que surgiu nesta quinta-feira, a empresa, com base na CLT, desligou o funcionário em questão', disse. A empresa lamentou o ocorrido e disse que prestará apoio às clientes importunadas.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE