Medida prorroga interrupção de benefícios do INSS por falta de prova de vida

Agora os beneficiários terão até o fim de novembro para realizar a prova

| MIDIAMAX


Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que não realizaram a prova de vida entre março e outubro deste ano não terão seus benefícios bloqueados.

A medida ocorre após a publicação da Portaria 1.053, publicada no DOU (Diário Oficial da União) desta quinta-feira (15). Agora a prorrogação da interrupção do bloqueio de pagamentos de benefícios seguirá até o fim de novembro.

A prorrogação vale para os beneficiários residentes no Brasil e no exterior. De acordo com a portaria, a rotina e obrigações contratuais estabelecidas entre o INSS e a rede bancária que paga os benefícios permanece e a comprovação da prova de vida deverá ser realizada normalmente pelos bancos.

Deputados aprovam MP que amplia uso de poupança digital para recebimento de benefícios sociais

Em meio a crise no STF, Bolsonaro se encontra com Fux

Em situações normais, a prova de vida é feita pelo segurado anualmente para comprovar que ele está vivo e garantir que o benefício continue sendo pago.

A rotina é cumprida anualmente pela rede bancária, que determina a data da forma mais adequada à sua gestão: existem bancos que utilizam a data do aniversário do beneficiário, outros utilizam a data de aniversário do benefício, assim como há os que convocam o beneficiário na competência que antecede o vencimento da fé de vida.

Comissão da Assembleia aprova prorrogação do Refis até dezembro

Medida provisória destina crédito extra para ações emergenciais do INSS e da Receita na pandemia

Bolsonaro diz que indicará pastor para próxima vaga do STF

Basta ir diretamente no banco em que recebe o benefício, apresentar um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação e outros). Algumas instituições financeiras já utilizam a tecnologia de biometria nos terminais de autoatendimento.

Os beneficiários que não puderem ir até às agências bancárias por motivos de doença ou dificuldades de locomoção podem realizar a comprovação de vida por meio de um procurador devidamente cadastrado no INSS.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE