Bancários protestam contra fechamento de agências e demissões em Campo Grande

Segundo sindicato, o Bradesco demitiu 19 funcionários entre setembro e outubro

| MIDIAMAX


Sindicato protesta na agência do Bradesco, no Centro de Campo Grande. (Foto: Divulgação)

Funcionários do Banco Bradesco protestam nesta quinta-feira (15) contra o fechamento de cinco agências e demissões de 19 funcionários durante a pandemia em Campo Grande. A unidade da Rua 13 de Maio, no Centro, foi fechada pelo Sindicato dos Bancários de Campo Grande. No local também funciona a Superintendência Regional do banco.

O protesto tem como objetivo denunciar à população sobre as demissões promovidas pelo banco. Conforme o sindicato, somente nos meses de setembro e outubro foram 19 demissões só na Capital. Em todo o país foram 427 desligamentos.

Para a presidente do sindicato, Neide Rodrigues, o banco poderia ter remanejado os bancários para outras unidades da capital e do interior do Estado. “Tem agência que está com falta de funcionário, até por causa do home office em razão da pandemia. Então, o banco poderia ter aumentando o número de bancários em outras unidades para evitar as filas, as reclamações dos clientes. É um descaso com a população, o banco preferiu fazer cortes!', afirma Neide Rodrigues.

Prefeitura estende por mais 15 dias proibição do corte de água em Campo Grande

Com 2ª onda da covid-19 na Europa, hospitais de Milão voltam a ficar sob pressão

Segundo a presidente do sindicato, com as demissões, o Bradesco está descumprindo o compromisso firmado com o movimento sindical de não demitir durante a pandemia.

“Não há motivos para as demissões, o banco precisa voltar atrás com essas demissões, enquanto isso, vamos continuar com os protestos para denunciar esse descaso', relata a presidente do sindicato.

A reportagem entrou em contato com o Bradesco, mas não obteve retorno até o fechamento deste material.

Imunidade de rebanho para controle da covid-19 é ‘falácia’, dizem cientistas

PF achou dinheiro entre as nádegas de vice-líder do governo, diz revista

STJ dá aval à soltura de presos que não pagaram fiança na pandemia



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE