Cerca de 13 mil indígenas recusam vacinação e doses serão remanejadas para outros grupos

As mais de 13 mil doses de vacina que foram destinadas a população indigena

| CORREIO DO ESTADO


Doses que não foram utilizada na população indígena serão remanejadas - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

As mais de 13 mil doses de vacina que foram destinadas a população indigena, mas sobraram após grande parte recusar a imunização, serão remanejadas para outros grupos prioritários em Mato Grosso do Sul.

A autorização para o remanejamento dos imunizantes já havia sido dada em fevereiro, mas, segundo o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, a distribuição aos municípios deve ocorrer nesta quinta-feira (9), junto com as novas doses que irão chegar do Ministério da Saúde.

'Conseguimos também fazer que o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) no Mato Grosso do Sul,  através da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), nos cedesse um quantitativo de vacinas que estavam nos polos indígenas de Mato Grosso do Sul, já que uma parcela da população indígena se recusa a tomar vacinas', disse Resende.

Últimas notícias Segundo o secretário, a coleta foi feita em todos os polos e o quantitativo ainda está seno contabilizado, mas são aproximadamente 13 mil doses, que irão atender outros gripos.

'Quero atender determinação do Ministério Público Federal (MPF) e uma reivindicação das comunidades indígenas do Mato Grosso do Sul aos índios desaldeados, que moram na cidade, aqueles que deixaram suas aldeias por várias motivações e que vieram a se instalar nos vários municípios do Estado', explicou.

Ainda segundo Resende, são cerca de 7 mil indígenas nestas condições, que deverão ser imunizados com as doses remanejadas.

'Vamos começar a vaciná-los a partir desta semana, desta quinta-feira, e as doses serão remetidas junto com as doses de vacinas que deverão chegar amanhã. Espero que venha um quantitativo suficiente para que a gente continue a ser o primeiro estado em imunização no país', afirmou.

A secretaria adjunta de Saúde, Christine Maymone, pediu para que a população não deixe de se vacinar quando chegar a sua vez no calendário.

'Chegou a hora de vacinar, vacine! Temos comprovado, com evidência cientifica, que a vacina Coronavac é eficaz contra a variante P1. Então se chegou seu momento de vacinar, vá até a UBS mais próxima de sua casa', pediu.

Retrospectiva Em 18 de janeiro, 158.760 doses da vacina Coronavac desembarcaram na Base Aérea de Campo Grande.

Em 24 de janeiro, 22 mil doses chegaram à Mato Grosso do Sul.

Em 25 de janeiro, 10,2 mil doses da vacina Coronavac desembarcaram no Aeroporto Internacional de Campo Grande em um voo da Latam.

Em 7 de fevereiro, 32 mil doses da vacina Coronavac chegaram ao Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Em 24 de fevereiro, o Estado recebeu 35,7 mil doses da Coronavac e AstraZeneca.

Em 3 de março, a sexta remessa com 27,8 mil doses da Coronavac desembarcou no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Em 9 de março, a sétima remessa com 30,6 mil doses chegou ao Estado em um voo da Latam, vindo de Guarulhos.

Em 18 de março, chegaram  mais 54,6 mil doses no Aeroporto da Capital. Já é a oitava remessa.

Em 20 de março, chegou a nona remessa com mais de 48,6 mil doses no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Em 26 de março, a décima remessa com 46,7 mil doses chegou à Mato Grosso do Sul.

Em 1º de abril, a décima primeira remessa com 109,5 mil doses- chegou ao Estado.

As vacinas já estão em todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul. A cada lote de entregas, os imunizantes vão sendo distribuídos imediatamente.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE