Em Maracaju, homem de 32 anos é morto a tiros após agredir policiais com facão

Homem foi socorrido pelo corpo de bombeiros , mas não resistiu aos ferimentos

| CANALDAQUI


Foto: Ilustrativa

Um homem de 32 anos foi morto a tiros em confronto com policiais militares nesta terça-feira abre parentes 12/11) na Rua Joaquim Ferreira de Azambuja no município de Maracaju, ele atacou os policiais com facão que foi necessário atirar para contê-lo.

Após ser baleado o homem foi socorrido pelo corpo de bombeiros, sendo encaminhado ao hospital municipal e ao dar entrada foi constatado o óbito pelo médico daquela unidade hospitalar.

De acordo com o boletim de ocorrência, uma moradora que mora em frente à residência do autor informou a guarnição que escutou o grito de socorro. Ao chegar em frente ao endereço os policiais se depararam com o autor correndo na rua e ao ver a viatura PM veio de encontro gritando frases desconexas dizendo que tinha que matar.

Um dos policiais de posse de uma espingarda calibre 12 alimentada com elastômero ordenou se o homem parasse e colocasse as mãos na cabeça. Desobedecendo, o autor investiu contra a guarnição pegando um facão que estava em sua cintura e gritando que iria matar os policiais.

Foi necessário o uso progressivo de força, foi realizado três disparos de elastômero na região do tórax e mesmo assim o autor não obedeceu ordem policial. Sendo necessário um tiro de arma de fogo na região da perna.

O homem mesmo ferido conseguiu derrubar o policial tentando pegar sua arma de fogo, foi efetuado outro disparo de arma de fogo contra o autor, vindo então a cessar as agressões.

Uma viatura do corpo de bombeiros foi acionada para fazer o regaste, sendo encaminhado ao hospital municipal, mas o homem não resistiu os ferimentos e morreu ao dar entrada naquela umidade hospitalar.

Um dos vizinhos também foi agredido pelo homem ai tentar socorrer as mulheres, apresentando um corte na testa.

A esposa do homem disse que estavam abrigados na casa de uma vizinha, às mesmas informaram  que o autor havia chegado da fazenda onde trabalha na manhã de domingo e que já apresentava um comportamento estranho com alucinações e falando e queria matar o gaúcho.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE