Infovia e saneamento também farão parte de parceria público-privada

Governador do Estado, Reinaldo Azambuja avaliou programa de extrema importância para o Estado

| CORREIO DO ESTADO / BRUNA AQUINO


Governador disse que espera sucesso na primeira abertura das propostas para MS-306 e outros projetos serão incluidos posteriormente - Bruno Henrique/Correio do Estado

Além da concessão que vai privatizar a MS-306, outros setores como a Infovia, saneamento e até o gás também estão na fila para fazer parte da parceria Público-Privada e deve passar pelo mesmo processo. A informação foi reforçada pelo governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que avaliou a estratégia como de “extrema importância” para o estado. 

Primeira da fila, a concessão da rodovia já estava em andamento desde outubro. Segundo Azambuja, na sexta-feira dia 29 de novembro, foi o último dia para quem quisesse manifestar algum tipo de questionamento, que segundo ele não foi feito, sinal que o processo da concessão está no caminho certo. “Dia 5 será a abertura das propostas na bolsa de valores da B3 e nós estamos esperando ter sucesso nesse leilão”, contou. 

Projeto de concessão da MS-306, que inclui concessão dos serviços públicos de recuperação, operação, manutenção, conservação, implantação de melhorias e ampliação da capacidade do Sistema Rodoviário das rodovias MS-306 e BR-359. Entre as melhorias propostas estão limpeza das pistas e acostamentos, restauração da iluminação e troca de sinalização defasada, além de toda infraestrutura para operação, com centros de apoio ao usuário e centro de controle operacional.

Outro projeto apresentado pelo governador e está na fila para para haver licitação é a parceria Público-Privada da Infovia Digital, que tem objetivo de prestar serviços de transmissão de voz, dados e imagens por meio de rede de fibra de alta capacidade em todo o Estado.

O sistema interligado por infovia digital deve contemplar os serviços de telefonia para atender todas as unidades públicas estaduais, na Saúde, a telemedicina, central de laudos, informações de vigilância sanitária, ensino a distância na Educação, videomonitoramento e acesso online aos sistemas dos tribunais na pasta de segurança pública, controle e fiscalização online nas fronteiras, arrecadação no  Fisco estadual e pontos de acesso à internet para população com o objetivo de inclusão social.

Azambuja informou durante a apresentação das propostas, o gás e o saneamento básico também devem passar pelo mesmo processo. A ideia é implantar, expandir e manter o sistema de saneamento nos 68 municípios atendidos pela Empresa de Saneamento do Estado de MS – a Sanesul. A ordem dos investimentos é de R$ 3,8 bilhões em 10 anos para universalização de cobertura de esgoto.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE